domingo, 19 de setembro de 2004

Contributos para o Dicionário da Academia

A de alimária - aquele gajo que encontramos todos os sábados na meia-laranja e a quem falamos muito bem, mas que não torce pelo nosso clube e vota sempre nos outros.

B de Boleta - Uma coisa que a cambada de alimárias que por aí anda insiste em chamar bolota. Faz mal aos intestinos dos alfacinhas; mas quando raio é que eles descobrem que têm de ser ingeridas por via oral?

C de carraça - o espontâneo que, quando a gente tá a conseguir chegar a vias de facto com a tipa das trancas boas acabadinha de conhecer na discoteca, insiste que nos conhece e tal e blá blá blá e em contar que esteve com a gente na tropa e mais blá blá blá, e nunca mais desanda dali pra fora.

D de dispositivo intra-uterino - o chamado aparelho. Quando a filha da D. Agnela lhe disse que ía pôr e onde ía pôr o aparelho, a pobre mulher ía desmaiando: "Oh! Filha, mas tem de ser daqueles pequininos com óscultadoris como o que ó tê pai usa pra óvir a bola!".

E de erva - o que não falta por aí.

F de coiso - pois, coiso... aquela coisa que se faz pra fazer meninos.

G de gandálimária - o mesmo gajo da letra A, mas quando falamos dele a um amigo.

H de homem - é que andam por aí uns gajos que são homens com Ó grande.

I de Indubitavelmente - não sei por que razão ainda ninguém pegou nesta. Foi a época da conjuntura práqui, conjuntura práli, depois foram as sinergias práqui, as sinergias práli, mas ainda ninguém pegou no indubitavelmente. Indubitavelmente ele há coooisas...

J de javali - um bichinho simpático e saboroso que, ao que parece, já aqui no Alentejo é caçado de helicóptero e ... , bem, bem, cala-te boca.!

L de lâmpada - rima com tâmpada. Não sabem o que é? então experimentem lá: tâmpada panela!

M de meia-laranja - é ali em frente ó luis da rocha.

N de nas ditas cujas - A resposta que apetece dar a certas intervenções ministeriais. NN , eniene.

O de ó porra! - penso que não é preciso explicar quando se deve usar esta, eheh

P de preseff.. percef...... perze... prevenn... porra, pra que é que mudaram o nome às camisas de vénus?

Q de quêjo - se fizesse mesmo esquecer não havia problema, os ratos nunca sabiam ondé que tava.

R de reaccionário - pronto, tá prometido, não vou dizer mal do Polis (pelo menos até ao fim deste "post").

S de assombra - da azenhêra, pois então.

T de tou-me - tou-me borrifando pra dizer mal do Polis, já tô farto.

U de qualquer coisa começada por u.

V de pianço - pianço, bernhol, birinaite, começa tudo por V, é tudo vinho!

X de xiiiiii! que gaja tão boooaaaa!

Z - a letra por onde começa quase tudo no Alentejo: a zovelhas, a zosgas, o zabutres...

3 comentários:

Homem do Pau disse...

Ora bem, este é uma boa alternativa ao dicionários ditos tradicionais...eh eh eh

sónia disse...

Gosti! :)

Sonho Meu disse...

Fundamenta melhor o R. :))