sábado, 21 de janeiro de 2006

À sombra da azinheira



Isté quié um'assombra!
Poderia ser a frase de espanto, mas é verdade. A imagem surripiei-a daqui , e partiu de uma mensagem que recebi a pedir informações sobre esta beleza. Segundo o indicado encontra-se ali para os lados de Castro Verde e já há uns vinte anos ouvi falar do assunto, mas pouca informação tenho sobre o mesmo. Se alguém souber, dê uma espreitadela aos "links" abaixo referidos e engrandeça mais um pouco a nossa terra.
A verdade é que já me tinham falado numa azinheira à sombra da qual se poderiam juntar mais de quarenta vacas (bem... vamos lá a levar isto a sério; é uma azinheira, não é uma discoteca!)
Link 1 - não deixem de ir aqui
Link 2 - e aqui também é obrigatório

7 comentários:

Zig disse...

Se gostas, tanto como eu, de árvores, o quê é que achas da barbaridade que a nossa câmara municipal está a fazer ás árvores na nossa cidade?

Abade.anacleto disse...

Bom, amigo T. não posso deixar de te agradecer por teres dado a ver esta soberba árvore e 2 excelentes blogs. Eu amo a Natureza, mas as árvores têm em mim um cantinho que é só delas.
Parabéns por ainda conseguires distinguir entre uma árvore e uma discoteca (nem tudo está perdido); agora essa de lá caberem 40 vacas e não numa discoteca é descabida. Bem sabes que as vacas não vão às discotecas, hum... (reduz-lhes a produção de lête). Se acaso te referes a vacas não quadrúpedes tenho de protestar! As vacas têm sempre 4 patas (hum...).
Ass.: O Provedor deste Blog.

F. Mas i Castanyer disse...

Gràcies Celtiberix,
I gràcies per fer-te’n ressò a À sombra da azinheira.
He posat el teu enllaç a Amics arbres · Arbres amics.

manueladlramos disse...

Olá Olá. Notícias "fresquinhas" desta azinheira (e não só) aqui

celtiberix disse...

@ --> zig
Também achei estranho o "corte de cabelo" que fizeram às árvores; penso que foi forte demais.
No entanto estou dividido: gosto das árvores mas também gosto de olhar e ver até onde a vista alcance (defeito de ser alentejano...).
Não quero ser advogado de defesa mas também não quero ser carrasco: realmente muitas delas estavam a precisar de tratamento. E até acredito que quem o fez "percebe da poda".

Zig disse...

@celtixbeja
Realmente, na altura quando comprei a minha (entretanto abandonada) casa, o quintal estava cheio de árvores. A vizinhança nunca gostou, tentaram sempre convence-me cortá-las. Mas nunca cedi.Uma árvore é uma vida, com a diferença, que não se sabe defender.
Agora, quem agora as está a cortar, não entende nada de árvores. Cortá-las desta maneira, muitas vão morrer mesmo. Uma árvore tem de ser tratada de vez em quanto, tem de ser limpa e acertada. Nunca se pode fazer isso, cortá-la de 15 em 15 anos. Assim ficam doentes mesmo, mas claro, quem não gosta da sombra, quem se irrita em ter que dar a volta aos carros estacionados por baixo delas, quem pensa que elas não fazem falta, claro, não gosta de árvores. Que irrrrrrritação!!!!

celtiberix disse...

Compreendo-te. Eu tenho dois quintais, e num deles um pessegueiro que, quando comprei a casa, não dava quase nada porque não estava a ser devidamente tratado. Imagina só o que uma vizinha me andou azucrinando a cabeça pra que eu cortasse o pessegueiro porque, segundo ela dizia, já não dava nada; era uma autêntica perseguição. Lixou-se, pois claro, mas quase que tive de lhe "pôr as pêras a oito".