quinta-feira, 6 de abril de 2006

Mais uma lei para cobarde cumprir

Caíu o mundo! Querem matar a música!
É assim que os miúdos ( e graúdos) amantes de música vêem a nova "lei" que os proíbe de sacar músicas da NET. O terror instalou-se, trazido pelos pistoleiros a soldo dos crápulas que (ainda) imperam na distribuição fonográfica. Neste caso, dos sabujos que cá dentro andam a reboque do que "de melhor" se faz lá fora, baseados na ignorância e no medo que daí advém.
Analisemos a coisa com calma, mesmo sem grandes conhecimentos jurídicos e sem quaisquer pretensões a "hacker".
Comprei um CD do R. Veloso, ou dos Pink Floyd. Quem me proíbe de o emprestar a um amigo? Por acaso a proibição de reprodução pública inclui que o toque numa festa em recinto fechado para a qual convidei 325 pessoas amigas? É que assim fôr quero desde já saber a que fiscal devo untar as patinhas para que não me venha pedir que preencha o formulário para pagar à Sociedade Portuguesa de Autores o "xis" por música... E mesmo esse pagamento à S.P.A. quem é que me garante que não vai para a conta da filha do director não sei quantos e que tal e tal.. bem, vocês sabem a bronca da S.P.A. no ano passado...
Lá porque tenho uma arma em casa, não tenho o direito de matar quem quer que seja. Isto é: lá por ter o Kazaa, o AudioGalaxy ou o eMule não tenho o direito de "biscar" músicas na net. Pois bem , até aqui, PARECE que não há problema. Ou seja, problema há desde que as músicas sejam para mim. Se eu as sacar e conseguir RE-RE-RE-produzir essas músicas a nível industrial para vender num mercado-dos-lelos ou na feira-de-agosto-que-agora-é-em-outubro, com capa igualinha e tudo, vai-te embora ó melga que eu não vi nada.
Vejamos a coisa sobre o outro prisma. Qual a entidade competente pra verificar as minhas andanças pela internet? É que até ao momento continua por aí a pairar muito pedófilo, continua o tráfego de material pornográfico com crianças e parece que nada nem ninguém se importa, ou então toda a gente que deveria actuar anda apenas a fingir que o consegue fazer... Em que ficamos? O meu gosto por música é que é o crime?
Ficamos então com aquele amargo de boca de que o mundo nos está a cair no alto da cabeça. Vem-nos à lembrança os carregamentos que fazemos no telélé em que só pela real preguiça lusitana não metemos número de contribuinte, que é para os crápulas das operadoras continuarem a gozar à boa e à portuguesa isentos de IRS sobre os nossos pagamentos. E depois acreditamos que nos "ofereceram" 250 mensagens à borliu. O papelinho do parquímetro que ainda dá pra mais vinte minutos vai para o lixo, sabendo que aquele coitado que ali chegou mesmo quando a gente ía a sair só lá vai estar dez... mas que se lixe... se eu paguei, paga lá tu também, e o mínimo é meia hora! Querias o papelito, não?, vai-te mas é lixar.
Cá por mim, os verdadeiros heróis vão ser a malta dos portáteis. "Encostem-se" às paredes das empresas com ligações "wireless" e saquem o mais que puderem. Até lhes bato palminhas.
Fica uma questão no ar: onde anda essa tal Comissão Nacional de Protecção de Dados?

2 comentários:

kapa disse...

É verdade, mas se não kerem ke o pessoal tire coisas da net, porque é ke eles não metem a coisa mais barata? Vendiam mais, logo lucro igual, assim vendem menos e dizem que têm prejuizo... tenham juizo....


Festas em honra de Nª Srª da Boa Nova, em Terena, dias 21 a 25 de Abril. Programa já disponível em http://vilaterena.blogspot.com/


Kapa

Eu mesmo disse...

Pelo que se tem lido, parece que a coisa não é muito de levar a sério.