sexta-feira, 21 de julho de 2006

Subsídios para a história do surrealismo em Portugal

Domingo, 9 de Julho de 2006.
- Cabovisão, boa tarde, está a falar com Abel Abelardo (nome fictício) em que posso ser útil?
- Boa tarde. Sou vosso cliente e pode mesmo ser útil. Primeiro pode transmitir um recado a alguém seu superior com responsabilidades na empresa?
- Sim, pois claro. Queira fazer o favor de dizer.
- Diga a alguém seu superior com responsabilidades na empresa que o serviço que estão a prestar é uma porra. Pode dizer porra porque sou mesmo alentejano. O vosso serviço está uma poooorra.
- O senhor tem algum problema que possamos resolver? (bem treinado... voz monocórdica, não demonstrando a mínima emoção, fingindo não saber o significado de poooorra, não há dúvida que se estão a esmerar).
- Antes que me pergunte, o meu número de cliente é 123456789 (fictício também, pois claro, pensavam que eu ía dar aos amigos leitores o meu verdadeiro número?).
- E em que posso ser útil? (porra, já se esqueceu da primeira coisa em que poderia ser útil).
- Quero reportar que desde ontem à tarde não tenho qualquer ligação à net.
- Pois sim, sr. Fulano de Tal. Já experimentou afastar o modem do monitor e blá blá blá tudo aquilo que a gente sabe?
- Já fiz reset ao modem, já afastei o modem do monitor e blá blá blá tudo aquilo que a gente sabe.
- Pois estou aqui a ver que o senhor está sem ligação à net (PORRA! Então mas o que é que tenho estado a dizer a este treinadíssimo monocórdico?!?).
- Siiiimmmm...
- A que horas está disponível para uma visita do técnico?
- Só depois das dezassete e trinta.
- Só depois da dezassete e trinta (olha! aqui há eco!!!). Então o nosso técnico visitá-lo-á na quarta-feira a partir das dezassete e trinta. Informo o sr. Fulano de Tal que se a responsabilidade da interrupção de ligação à net não fôr nossa terá de pagar vinte e cinco euros da deslocação do técnico.
- Tudo bem. Eu contratei um serviço convosco que está subvertido unilateralmente: canais codificados que não o eram aquando da subscrição dos vossos serviços, pago uma ligação à net que não vou ter durante mais três dias, e vocês querem que eu pague 25€ pela deslocação do técnico. Eu pago com todo o gosto mas com o devido conhecimento ao Instituto de Defesa do Consumidor!
Silêncio de sete ou oito segundos do outro lado, porra que esta fez mossa.
- Canais codificados? Que canais? (ai agora sou eu que devo responder?)
- É só ouvir o vosso atendedor automático enquanto esperamos, mas posso desde já adiantar que nada tenho a ver com direitos de transmissão de jogos do Mundial. Pago um serviço e não me parece que esse pagamento dê à Cabovisão o direito de se eximir aos deveres contratados. O contrato é omisso quanto ao assunto.
Mais silêncio do outro lado, parece que estou mesmo a fazer mossa, e isso dá gozo, eh eh.
- Sr. Fulano de Tal, em que mais posso ser útil?
Ena, esta do "em que mais" quererá dizer dizer que vai mesmo ser?
- Diga-me se vou receber a revista da Cabovisão em tempo útil (útil, util, útil, é só utilidade), é que se continuar a ser como nos outros meses e como já estamos a nove do mês, se eu a comprar ainda me vai ser de alguma utilidade!
- Pois deve haver algum extravio na sua caixa de correio e terei todo o gosto em enviar-lhe uma segunda via da mesma.
Esta da "segunda via da mesma" é o máximo. E a minha caixa de correio deve ter trezentas e vinte e cinco assoalhadas fora as casas-de-banho e o sótão sem contar com a cave e garagem para se perder lá a revista...
- Sim, concerteza, mande mas não se esqueça de mandar também uma segunda via da mesma aos meus vizinhos, pois desde há uns meses a esta parte que se vêm extraviando as revistas da Cabovisão também dentro das caixas de correio deles.
- Sr. Fulano de Tal, em que mais podemos ser úteis? (Espectacular!! Fenomenal!! Passou da 1ª pessoa do singular para a 1ª do plural!!! do "posso" para o "podemos". Lá se está o treino a ir por água abaixo).
- Era só isto. E não se esqueça que a guerra não é consigo mas com a empresa. Faça o favor de dizer a alguém seu superior com responsabilidades na empresa que o vosso serviço está uma porra.

5 comentários:

Zig disse...

Ai que porra! Há alguns meses "ofereceram-me" ser técnico deles, ainda bem que não aceitei!

Paulo Sempre disse...

à sombra duma azinheira-que já não sabia a idade - "derrobei" muita bolota com um varejão...pois os porcos também não curtem a crise e a fominha apertava. Agora não há porcos nem montado..., pena!
Bom Blog
Abraço

Paulo Sempre disse...

Obrigado pela visita e o comentário.
"Galileu"...Galileu morreu lúcito, em Arctri, a 09/01/1642. Dias depois da morte o cardeal Barberini, o mais importante dos três cardeais que retiraram a assinatura à condenação de Calileu, escreveu a seguinte carta a um amigo:
«Chegaram-me hoje notícias da morte do senhor Galileu, morte que toca ao mundo inteiro, e todo o nosso século, que deste homem divino recebeu mais esplendor do que de quase todos os filósofos vulgares. agora, que acabou a inveja, a sublimidade daquele intelecto começara a ser conhecida e servirá toda a posteridade como guia na procura da verdade...»
(.)

"Se não os dás vencidos junta-te a eles"... - diz o povo -!

Volte Sempre!!

Beja, 07/08/06
Paulo

RCataluna disse...

Porra é favor! Já pensei em mudar para a TV Cabo. Mas parece que a porra é a mesma...

Abraço e boa semana!

Anonymous disse...

Cool blog, interesting information... Keep it UP Wood cabinet history ambien purchase New hampshire awnings Car stereo auxbox Cheap calls venezuela Kura kaupapa fax Norsk jente anal