sábado, 15 de março de 2008

E a malta vai deixando...

A coberto da defesa da saúde pública o governo prepara-se para (mais) uma aberração legislativa: pretende impor normas e proibições naquilo que deveria ser da exclusiva responsabilidade dos pais e educadores. Não sendo eu adepto de tatuagens ou "piercings", e achando mesmo pouca ou nenhuma piada a muitos exemplos que por aí vejo, não posso mesmo assim entender a atitude senão como de preparação para muito mais que estará para vir por aí abaixo, a par de servir para desviar as atenções de outro género de coisas bem mais importantes e actuais.
Como não poderia deixar de ser, a ASAE (esse sempre presente substituto do Aloé Vera e do Piredenitionato de Zinco dos champôs anticaspa) vai mais uma vez (ah! valentes) ser chamada ao assunto. É claro que nos intervalos das fiscalizações que (não) fazem à loja do chinês, pois então.
Proponho também regulamentação noutras áreas:
1 - Os batons devem ser apenas de brilho, a fim de não ferir susceptibilades clubísticas.
2 - As mulheres não devem usar as unhas compridas, são um perigo para a sua própria integridade física, além de poderem ser usadas como arma branca.
3 - Os homens serão proibidos de meter a mão no bolso para coçar os "ditos cujos". Além de ser indecoroso, pode provocar o alastramento de micoses.
E preparem-se para ver proibidos os preservativos com sabor a morango (por causa das alergias).

2 comentários:

RCataluna disse...

Isto sim é que é política de altíssimo quilate!!!! Nós é que somos uns pobres e mal agradecidos!!!!

E como tu dizes, "vamos deixando". Espero que não se acorde tarde de mais para estes atropelos e incongruências legislativas!!

Muito bem escrito, como sempre!

Abraço!

Cesar disse...

Hehehe...
Muito BOM!