terça-feira, 19 de outubro de 2004

Ser alentejano é um estado de alma

Não sei porquê, mal acordei hoje veio-me à memória um daqueles episódios simples, mas que nos ficam gravados para sempre; e que nos fazem admirar a maneira como certos amigos nossos estão no mundo. Passou-se no restaurante "O Portão", em 1990, ainda o saudoso Patrício estava entre nós. Tinha eu lá ido com um amigo, membro do meu grupo de música e copofonia. Embora a pandilha costumasse ser um pouco maior, nessa noite mais ninguém quis ir aos bitoques d' "O Portão".

As conversas vinham agarradas umas às outras como as cerejas. Saltava-se desta música que "fica melhor sem aquela entrada da bateria" para "os gajos da semana passada já telefonaram a confirmar o espectáculo?", passando de raspão por "o amplificador tá a pifar"... Até que a conversa acabou por cair na "alentejanidade". Foi quando o nosso vocalista se virou para mim e me deixou siderado:

- Sabes, pá, é que tenho de te confessar : eu não sou alentejano.

- Nááá, tás a gozar!

- A sério! Nasci em Lisboa, só que me trouxeram pra Beja com três ou quatro dias.

A surpresa tansformava-se em descrença e vice-versa. Então conheço este tipo vai pra uns quinze anos, companheiros de música há uns cinco, um circulo enorme de amigos comuns, e agora vem-me meter os dedos nos olhos?

E mais: como é que este gajo gosta tanto disto e não é daqui? Defende isto com unhas e dentes!.... e afinal....

- Mostra lá o B.I., deixa.te de fitas.

E era verdade, lá estava, o meu amigo era ( e é, e espero que continue a ser durante muitos anos)... alfacinha!

Mas só no B.I.

Fez.-me um pedido que até hoje respeitei : "Mas, por favor, não digas a ninguém.".

E não disse! E nem vou dizer. A não ser que ele próprio me consiga provar que não é Alentejano.



3 comentários:

Homem do Pau disse...

Assim mesmo é que é!

Anonymous disse...

Qual o alentejano que não tem orgulho em sê-lo? Não conheço nenhum...
A.M.

celtiberix disse...

===> Infelizmente conheço uma boa meia dúzia deles. Foi o que me levou a escrever o primeiro "post" deste "blog" em Agosto, intitulado "Alguém pode amar o que não conhece?".
Se tiver um minutinho dê por lá uma espreitadela e logo verá se não está de acordo comigo.
Um abraço e volte sempre (mas deixe lá o anonimato, eh eh).
:)